Nossas redes

Política

Azambuja defende solução logística pela Hidrovia do Paraguai

Projeção da nova empresa mineradora é movimentar 80% de sua produção para exportação pela Hidrovia do Paraguai, a partir dos portos da Granel Química (Ladário) e Gregório Curvo (Corumbá).

Publicado em

Governador Reinaldo Azambuja visitou o complexo de mineração da holding J&F Investimentos, que adquiriu os ativos pertencentes à Vale em Corumbá e Ladário. | Créditos: Divulgação

Governador Reinaldo Azambuja visitou o complexo de mineração da holding J&F Investimentos, que adquiriu os ativos pertencentes à Vale em Corumbá e Ladário, na manhã da terça-feira (6).

Durante a estadia, ele destacou a confiabilidade dos investidores na gestão pública e na economia forte de Mato Grosso do Sul. E garantiu que o Estado continuará priorizando a logística como estratégia para baratear custos e dar maior competitividade aos produtos regionais.

Tornar a Hidrovia do Paraguai uma via de navegação perene, superando os períodos sazonais da bacia, permeada por cheias e secas prolongadas, como ocorre agora, será um dos grandes desafios do próximo governador Eduardo Riedel, pontuou Reinaldo Azambuja. Ele acentuou que o Estado também vai atuar na relicitação da Malha Oeste (Bauro-Corumbá) e na melhoria do tráfego na BR-262, projetos estes atrelados à política de transportes do governo federal.

 “Queremos agradecer a J&F por acreditar em Mato Grosso do Sul, e no caso da mineração, em Corumbá e Ladário, ampliando seus investimentos no Estado, onde já atua fortemente nos setores de alimentos e celulose”, afirmou o governador. Ao citar os gargalos da logística, disse que o Estado vai buscar meios para garantir a expansão da produção de minérios, como anunciou o grupo, e considerou a melhoria do transporte fluvial uma prioridade de governo.

Mais emprego e renda

Reinaldo Azambuja adiantou que é projeção da nova empresa mineradora movimentar 80% de sua produção para exportação pela Hidrovia do Paraguai, a partir dos portos da Granel Química (Ladário) e Gregório Curvo (Corumbá). “Precisamos fazer algumas correções em trechos do rio, por meio de dragagem, sem afetar o meio ambiente, e mais embaixo o Paraguai já trabalha para melhorar a navegação em pelo menos mil quilômetros”, citou.

Para proporcionar maior fluxo das cargas de minério, o governador anunciou que autorizou projetos de engenharia para pavimentar 6,4 quilômetros de acesso ao Porto Granel Química, a partir da BR-262, e a ampliação da extensão da estrada cascalhada que está sendo implantada entre a rodovia federal e o distrito de Porto Esperança, m 600 metros, ligando a via com o Porto Gregório Curvo. As obras foram solicitadas pela diretoria da J&F Investimentos.

Melhorar o sistema intermodal para fluir com maior rapidez o escoamento do minério, segundo o governador, não apenas dá garantias ao investidor e fortalece a economia regional, como aumenta as oportunidades em todos os setores e gera mais empregos e renda para a população. A holding anunciou a contratação de mais 300 trabalhadores no início de 2023 e já aumentou seu efetivo de 900 para 1.200 desde que assumiu o controle dos ativos da Vale.

Ambiente favorável

Acompanhado da direção executiva da J&F Investimentos, dentre os quais o presidente do grupo, Agnaldo Gomes Ramos Filho, o governador Reinaldo Azambuja visitou as reservas de minério de ferro e manganês nos morros Urucum e Santa Cruz, em Corumbá. Conheceu os novos projetos de expansão em investimentos para o complexo, um dos maiores do Brasil, com perspectivas de dobrar a produção de minério (7 milhões de toneladas) em 2023.

Foi realizada também visita às minas de manganês, onde a comitiva percorreu alguns dos 220 quilômetros de galerias. N oportunidade, o grupo anunciou a retomada da produção de manganês, paralisada há mais de um ano, com estimativa de 500 mil toneladas no próximo ano. “Fiquei impressionado com a complexidade desse processo mineral, com a garantia da J%F de primar pela segurança e sustentabilidade que a atividade exige”, disse o governador.

O secretário estadual de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Sustentável, Jaime Verruck, participou da visita às instalações da mineradora e declarou que é privilegio para o Estado receber os novos investidores. “Em oito anos, estabelecemos uma política de atração do setor privado e o que ocorre hoje na mineração, com quatro grupos operando em Corumbá, é resultado de um ambiente favorável criado pelo nosso governo”, pontuou.

Já deu seu like para esta matéria?

Ver matéria completa
Publicidade

As Top da Semana