Pantanal MS
19 de Junho / 2024
  • Publicado em: 19 de Fevereiro, 2024 | Fonte: Rafael Almeida

A 1ª Vara do Tribunal do Crime emitiu mandado de prisão para os acusados Willian Enrique Larrea e Thiago Giovanni Demarco Sena, condenados a 12 anos de prisão pelo homicídio qualificado doloso de Wesner Moreira. O crime, que chocou a cidade, ocorreu em um lava-jato de Campo Grande, onde a vítima foi submetida a uma atrocidade que resultou em sua morte.

No julgamento realizado em março do ano anterior, Larrea e Sena foram condenados à pena máxima, mas permaneceram em liberdade enquanto recorriam da sentença. No entanto, o juiz determinou a prisão dos acusados no dia 16 de fevereiro, cumprindo assim a decisão judicial.

Marisilva, mãe de Wesner, expressou sua dor em entrevista ao Jornal Midiamax na época do julgamento, afirmando que seu luto havia se transformado em luta por justiça. Ela relembrou os momentos de angústia desde a fatídica noite em que seu filho foi vítima da brutalidade dos acusados.

O crime, ocorrido em fevereiro de 2017, foi descrito como uma sequência de crueldades infligidas a Wesner. Os réus, sob pretexto de uma "brincadeira", introduziram uma mangueira de ar comprimido no ânus da vítima, causando-lhe ferimentos fatais. O laudo médico apontou que Wesner faleceu devido à ruptura do esôfago e choque hipovolêmico por hemorragia torácica aguda.

A mãe de Wesner, ao receber a terrível notícia, encontrou seu filho já internado, em estado irreconhecível. Wesner revelou à mãe os horrores pelos quais passou, descrevendo as práticas cruéis que sofreu nas mãos dos acusados.

 

Comentários