Nossas redes

Política

Paulo Duarte diz que Flexpark teria arrecadado mais de meio milhão em créditos antecipados

O titular da 43ª Promotoria de Justiça, Luiz Eduardo Lemos de Almeida, reforça que o prazo para solicitar a devolução vai até o dia 20 de outubro deste ano.

Publicado em

Deputado Estadual Paulo Duarte (PSB-MS). | Créditos: Reprodução/Rede Social

O Deputado Estadual Paulo Duarte (PSB), moveu uma Ação Civil Pública junto ao Ministério Público de Mato Grosso do Sul (MPMS) e resultou na devolução dos créditos do estacionamento rotativo retidos pela Flexpark, desde março deste ano.

Os consumidores que adquiriram créditos antecipados já começaram a buscar os valores desde essa segunda-feira (20), em Campo Grande.  

Ao comentar o assunto, o deputado Paulo Duarte explica que essa é mais uma vitória em seu mandato que conseguiu para o consumidor.

Depois de receber inúmeras reclamações, Paulo Duarte entrou com uma Ação Civil Pública junto ao Ministério Público Estadual solicitando a devolução dos valores que ficaram com a empresa após o término do período de concessão. Da Ação Civil Pública foi feito um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) entre o Ministério Público do Mato Grosso do Sul e a Metro Park Administração Ltda.”

Como autor da ação que gerou o TAC, o parlamentar também falou sobre a importância dos consumidores buscarem os valor dos créditos arrecadados antecipadamente pelo estacionamento rotativo. 

“Informalmente, temos a informação de que a empresa teria mais de meio milhão de reais em créditos antecipados. Essa é uma demonstração clara de uma empresa que atuou por mais de vinte anos em Campo Grande, no mínimo de má fé, porque fechou as portas e ficou com milhares de reais dos consumidores. Não interessa se é um real ou se são duzentos reais. Se somar tudo é muito dinheiro. Essa é uma questão de cidadania. De vintão em vintão nós enriquecemos essas empresas”, disse o parlamentar.


Os consumidores que quiserem ter os valores pagos restituídos deverão solicitar a devolução pessoalmente mediante a apresentação de documentos pessoais. | Imagem: Reprodução/Rede Social

Duarte também informou que a empresa tinha até o dia 20 de junho para informar ao MPMS o valor total em créditos antecipados a empresa teria arrecadado antes do encerramento do contrato de concessão. 

“O prazo para apresentar ao Ministério Público Estadual quanto de dinheiro dos usuários do estacionamento rotativo está em posse da empresa era até ontem, 20 de junho. Isso não foi feito, então farei, hoje, ao MPMS um requerimento solicitando essa informação”, afirma o deputado.

Os consumidores que quiserem ter os valores pagos restituídos deverão solicitar a devolução pessoalmente mediante a apresentação de documentos pessoais. 

O titular da 43ª Promotoria de Justiça, Luiz Eduardo Lemos de Almeida, reforça que o prazo para solicitar a devolução vai até o dia 20 de outubro deste ano. No entanto, esclarece que mesmo após o período de quatro meses, os valores poderão ser restituídos por meio de atendimento online, “porém, o atendimento online demandará mais paciência do consumidor”ressalta.
 

Já deu seu like para esta matéria?

Ver matéria completa
Publicidade

As Top da Semana