Pantanal MS
20 de Maio / 2024
  • Publicado em: 06 de Maio, 2024 | Fonte: Fábio Marchi

Corumbá - A novela do problema da falta de ambulâncias na Capital do Pantanal está longe de ter um fim: apesar da Prefeitura ter alardeado a compra e também o aluguel de ambulâncias, a logística da Administração Municipal é ruim a ponto de inutilizar completamente os veículos, por falta de programação preventiva nos mesmos.

Hoje mesmo, na data da publicação desta matéria, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU 192) de Corumbá possui apenas duas ambulâncias para cobrir toda a região da Cidade Branca - uma vez que nenhuma ambulância adquirida recentemente foi repassada para o SAMU, que continua operando com veículos antigos e quase virando sucata, pela quantidade imensa de reparos que precisam ser feitos - e que não são realizados.

Dessas duas ambulâncias, uma é do tipo “avançada”, para atendimentos mais graves - como politraumatismos, paradas cardiorrespiratórias, etc - e outra é do tipo “básica”, para atendimentos considerados de menor gravidade. Existe ainda uma terceira ambulância que foi para “manutenção”, mas pelas informações levantadas, deve ficar “baixada” indefinidamente e com isso, o SAMU de Corumbá passa a contar apenas com duas ambulâncias.

Garagem da Secretaria da Saúde do Município de Corumbá abriga um verdadeiro "cemitério" de veículos, muitos irrecuperáveis, por falta de manutenção / manutenção inadequada. | Créditos: Weber Reis / FOLHA MS

LOGÍSTICA RUIM QUE PREJUDICA OS ATENDIMENTOS

O MS Diário levantou com profissionais de saúde da área, que relataram a problemática do SAMU ter uma quantidade pequena de ambulâncias em funcionamento (2 ativas, 1 parada):

“Imagine um acidente grave acontecendo na fronteira e outro, em na estrada, no assentamento São Gabriel, por exemplo. E aí, como fica o atendimento na cidade do SAMU nesse momento? O território do município é imenso, prestamos atendimento até nas proximidades da Fundação Bradesco, a população corre um risco muito grande, todos os dias.”

Segundo as informações levantadas pelo MS Diário, as três ambulâncias existentes do SAMU - onde algumas possuem cerca de cinco a seis anos de operação ininterruptas - poderiam estar operando normalmente - caso houvesse uma política rigorosa de manutenção dos veículos da Saúde:

“Corumbá tem uma frota gigantesca de sucata, veículos que estão parados e que poderiam estar rodando normalmente, se a Prefeitura se importasse com a manutenção dos veículos que compra ou recebe através de emendas parlamentares, mas parece que ninguém se importa com o dinheiro público, dá até dó quando você a quantidade imensa de veículos apodrecendo na garagem da Prefeitura, apenas porque não cuidaram deles como deveriam ter cuidado. Isso é um descaso imenso com o dinheiro público!” -

Disse uma fonte que não quis se identificar, temendo represálias da Administração Municipal.

“Tem gente que recebe só pra ficar cuidando dos outros funcionários, ao invés de estar trabalhando para o povo”- finalizou.

Garagem da Secretaria de Saúde, em Corumbá | Créditos: Weber Reis / FOLHA MS

QUANDO CHAMAR O SAMU:

  • Na ocorrência de problemas cardio-respiratórios;
  • Intoxicação exógena e envenenamento;
  • Queimaduras graves;
  • Na ocorrência de maus tratos;
  • Trabalhos de parto em que haja risco de morte da mãe ou do feto;
  • Em tentativas de suicídio;
  • Crises hipertensivas e dores no peito de aparecimento súbito;
  • Quando houver acidentes/traumas com vítimas;
  • Afogamentos;
  • Choque elétrico;
  • Acidentes com produtos perigosos;
  • Suspeita de Infarto ou AVC (alteração súbita na fala, perda de força em um lado do corpo e desvio da comissura labial são os sintomas mais comuns);
  • Agressão por arma de fogo ou arma branca;
  • Soterramento, Desabamento;
  • Crises Convulsivas;
  • Transferência inter-hospitalar de doentes graves;
  • Outras situações consideradas de urgência ou emergência, com risco de morte, sequela ou sofrimento intenso.

QUANDO NÃO CHAMAR

  • Febre prolongada;
  • Dores crônicas;
  • Vômito e diarreia;
  • Levar pacientes para consulta médica ou para realizar exames;
  • Transporte de óbito;
  • Dor de dente;
  • Transferência sem regulação médica prévia;
  • Trocas de sonda;
  • Corte com pouco sangramento,
  • Entorses;
  • Cólicas renais;
  • Transportes inter-hospitalares de pacientes de convênio;
  • Todas as demais situações onde não se caracterize urgência ou emergência médica.

Importante: Nestes casos e em todos os casos sem caracterização de urgência ou emergência, o paciente poderá ser encaminhado ao posto de saúde ou então as Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) mais próximas.


Dicas para quem ligar para o SAMU 192

  • Em caso de acidente verifique a quantidade de vítimas, o estado de consciência delas e se alguma delas está presa ás ferragens;
  • Ligue para o 192 e siga as orientações do Médico Regulador;
  • Sinalize as vias com galhos de arvore e triângulo de sinalização;
  • Em caso de acidente com motos: não toque nas vítimas, não retire o capacete;
  • Não dê água aos acidentados.

Comentários