Nossas redes

Polícia

PRF prende suspeito de comprar votos com carro de prefeitura de Corumbá

Homem estava em um carro da Secretaria de Saúde de Corumbá e estaria com dinheiro para a compra de votos.

Publicado em

PRF

Um homem foi preso nessa quarta-feira (28) em Anastácio, a 135 quilômetros de Campo Grande, suspeito de compra de votos. O homem estava usando um veículo da prefeitura de Corumbá.

A PRF (Polícia Rodoviária Federal) recebeu a denúncia de que o homem estava em um carro da Secretaria de Saúde de Corumbá e estaria com dinheiro para a compra de votos. Quando os policiais o abordaram, encontraram com ele R$ 10 mil.

Quando indagado, o motorista disse que o valor seria usado para comprar uma casa no valor de R$ 21 mil, mas não comprovou a origem do dinheiro, segundo o site Arapuá News. Ele foi encaminhado para a delegacia.

A reportagem entrou em contato com a prefeitura de Corumbá para mais informações sobre o uso do carro público da cidade, e aguarda retorno.


Prisão nas eleições

Os eleitores só poderão ser presos em flagrante ou em caso de cometerem algum crime inafiançável, de acordo com o Código Eleitoral Brasileiro, a partir do dia 27 deste mês. As candidatas e candidatos devidamente registrados para as eleições deste ano já não podem ser presos ou detidos desde o último dia 17 até o primeiro turno das eleições.

Mesmo no caso de ser preso em flagrante delito, o candidato continua disputando a eleição. No caso dos eleitores, a imunidade eleitoral é mais restrita e impede prisões cinco dias antes do pleito até 48 horas após a eleição, em cada turno.

Em nota, a prefeitura de Corumbá informou que o funcionário atua há 10 anos como servidor público e  será instaurada uma sindicância para investigar a ocorrência. Leia a nota da prefeitura abaixo:

"Diante do fato noticiado pela Polícia Rodoviária Federal nesta quinta-feira, 29 de setembro, a Prefeitura de Corumbá esclarece que já foi aberto um Processo Administrativo para apurar a conduta do referido servidor. O prefeito Marcelo Iunes, em reunião com o procurador-geral do Município, Alcindo Cardoso do Valle Júnior, e a secretária municipal de Saúde, Beatriz Assad, determinou que todas as medidas cabíveis sejam imediatamente adotadas. A comissão sindicante poderá até mesmo determinar a suspensão do motorista até a conclusão da apuração, observado o direito do funcionário de ampla defesa. O prefeito Marcelo Iunes reiterou seu compromisso e seu respeito com a Democracia e reafirmou que não compactua e não apoia qualquer ação ilegal. O Servidor Municipal: À sua chefia imediata, o motorista informou que pegou a quantia de R$ 10 mil com sua irmã em Campo Grande e que metade do valor seria usado para finalizar a compra de uma casa no bairro Cristo Redentor, enquanto o restante serviria para adquirir materiais de construção. No momento da abordagem, ocorrida por volta das 14h30 da quarta-feira, ele foi informado pelos agentes da PRF que havia uma denúncia de compra votos. O carro foi vistoriado e nada foi encontrado. O valor em espécie estava no bolso do servidor, que inclusive apresentou aos policiais o comprovante bancário. O valor, o comprovante e o celular do servidor foram retidos pelos policiais e o condutor liberado. O motorista pertence ao quadro efetivo da Prefeitura há 10 anos e nunca respondeu por nenhum processo administrativo. Conforme relatório feito pelo funcionário, ele saiu de Corumbá às 2h30 da manhã para entregar coletas de sangue no Lacen e depois seguiu até o Hemosul, onde pegou as plaquetas que atendem a Rede Municipal de Saúde".
 

Já deu seu like para esta matéria?

Ver matéria completa
Publicidade
Publicidade

As Top da Semana