Pantanal MS
24 de Julho / 2024
  • Publicado em: 04 de Julho, 2024 | Fonte: Redação

O ex-presidente Jair Bolsonaro confirmou que o PL (Partido Liberal) está alinhado com o PSDB (Partido da Social Democracia Brasileira) para as próximas eleições municipais em Campo Grande. O anúncio foi feito durante uma conversa com o deputado estadual Carlos Alberto David, conhecido como Coronel David (PL), nesta quarta-feira (3). Com essa aliança, o PL deve indicar o candidato a vice-prefeito na chapa encabeçada pelo pré-candidato a prefeito dos tucanos, deputado federal Humberto Pereira, o Beto Pereira.

De acordo com informações do Campo Grande News, Coronel David revelou que esteve em Brasília a pedido de Bolsonaro. Durante o encontro, Bolsonaro afirmou que a parceria entre os dois partidos estava confirmada. “Ele [Bolsonaro] falou ‘está fechado’”, disse o deputado. No entanto, David ressaltou que estava apenas repassando a informação recebida do ex-presidente e que ainda não poderia confirmar oficialmente a aliança.

Coronel David evitou comentar sobre a recepção dessa decisão pelos membros do partido em Mato Grosso do Sul. “Não opino. A partir do momento que ele [Bolsonaro] decide qual é o caminho, vou seguir. Apenas disse o que o presidente me falou. Não confirmo nada e o caminho que o presidente indicar eu vou seguir”, afirmou.

O deputado lembrou que sempre foi a favor de uma candidatura própria, mas que agora irá seguir a orientação dada por Bolsonaro. “Sempre defendi a candidatura própria, mas, por uma série de motivos, ela não aconteceu. Sempre me posicionei por candidatura própria, mas agora o que nos resta é seguir a orientação”, concluiu.

A confirmação da aliança por Bolsonaro coincide com o que o presidente nacional do PL, Valdemar da Costa Neto, havia antecipado em entrevista na semana passada, onde indicou ser "muito provável" o acordo com o PSDB e a indicação do candidato a vice na chapa.

Valdemar da Costa Neto também mencionou que a aliança com o PSDB se estenderá a outras cidades do interior de Mato Grosso do Sul, como parte de um projeto maior para reeleger o governador Eduardo Riedel.

Essa decisão desagrada alguns membros do partido que defendiam uma candidatura própria, como o presidente estadual do PL, deputado federal Marcos Pollon, que havia se declarado pré-candidato a prefeito. Outros membros do PL, como o ex-deputado Rafael Tavares e o ex-vereador André Salineiro, manifestaram apoio a Pollon.

A prefeita Adriane Lopes (PP), que busca a reeleição, também ficou desapontada com a aliança, uma vez que esperava contar com o apoio do PL, articulado pela senadora Tereza Cristina. A senadora, durante uma agenda pública em Campo Grande na segunda-feira (1º), disse estar surpresa com a decisão e que esperava ouvir diretamente de Bolsonaro sobre a opção do PL na capital.

Comentários