Pantanal MS
14 de Abril / 2024

Isabella Kemp, estudante de Medicina. | Créditos: reprodução-internet

  • Publicado em: 01 de Março, 2024 | Fonte: Redação

Isabella Kemp, estudante de Medicina, compartilha sua experiência para conscientizar sobre os riscos da dengue e relata os momentos de angústia após diagnóstico. 

Isabella, que enfrenta o desafio de recuperar a visão, teve os primeiros sintomas da doença em fevereiro, apresentando dores musculares e de cabeça. Após uma semana, além da "coceira" característica da dengue, Isabella teve a visão afetada, com um embaçamento progressivo que culminou em perdas significativas. 

A jovem foi diagnosticada com uma rara sequela da dengue, que atingiu a retina de seus olhos, desencadeando um processo inflamatório. Atualmente, Isabella enfrenta dificuldades visuais, como sensibilidade a cores e necessidade de ajustes nos dispositivos eletrônicos para facilitar a visualização. Apesar das incertezas quanto ao prognóstico, a jovem mantém a esperança e já apresenta melhoras, com 80% da visão recuperada após semanas de tratamento. 

O médico infectologista Rivaldo Venâncio, da Fiocruz, destaca que, embora raros, os casos de complicações oculares e em outros órgãos são possíveis em decorrência da dengue.

Embora a maioria dos pacientes se recupere, algumas sequelas, principalmente em órgãos como fígado e coração, podem ser permanentes.

Comentários